Rio Grande do Norte - Litoral de ponta a ponta!

Nossa equipe conheceu o litoral do Rio Grande do Norte dede a foz do Rio Guaju (na Paraíba) a Praia de Tibau (divisa com o Ceará). Embarque nessa aventura e divirta-se com a gente!


Malas prontas, 12 dias de viagem pela frente e um objetivo: percorrer todo o litoral do RN até Morro Branco, no CE. O tempo é curto e a tarefa parece árdua, mas com o decorrer da viagem não foi difícil perceber que nossa corrida contra o tempo transformaria nossa viagem numa inesquecível experiência minuto a minuto. Nossa aventura começa na última praia do litoral norte da Paraíba, Barra de Camaratuba, município de Mataraca. E de cima das dunas, ao lado de 13 gigantes torres aerogeradoras de energia eólica, nos deparamos com a estonteante paisagem formada pelo encontro do Rio Guaju com o mar, na divisa de PB com RN. Foi a primeira das várias gratas surpresa da viagem e a primeira emoção também - do alto das dunas um jovem nativo passa vela na prancha que será utilizada para a descida no skibunda. A vela funciona como uma parafina e ajuda a prancha deslizar mais na areia. A emoção que começa no topo da duna termina num refrescante banho de rio, lá embaixo. O valor para a brincadeira não é tabelado, é o visitante que decide o quanto vale, mas seja camarada! Atravessando o rio estamos no Município de Baia Formosa e a 2,5 km na 1° vila do litoral do RN, Praia de Sagi. O povoado é formado por 800 habitantes (em 2008) e entre seus atrativos turísticos, duas famosas e respeitadas cachaçarias, equipadas com exemplares de diversos estados brasileiros. A diversão é a consulta pelos exemplares, a variedade é tanta que o difícil é não encontrar a marca solicitada nas prateleiras.

Divisa - RN/PB

Os 10 km que separam Sagi da Praia de Baia Formosa é formado por praias lindíssimas de água morna e um encantador tom esverdeado. Entrando na reserva da Mata da Estrela, nosso experiente guia nos apresenta à Amescla, árvore também conhecida na Amazônia por Pau Rosa, que produz uma perfumada seiva, e segundo os nativos, é utilizada na composição do famoso Chanel n°. 5. Irresistível, caímos na tentação e depois de nos perfumarmos à vontade, seguimos para outra descoberta fantástica, a Lagoa de Araraquara, mais conhecida como Lagoa da Coca-Cola, onde as dunas de areias brancas contrastam com as águas escuras da lagoa. O tom escuro das águas se dá em função de dois elementos principais, o junco muito presente na paisagem e o carvão mineral sedimentado no fundo da lagoa. Os turistas utilizam este sedimento como máscara facial num lúdico tratamento rejuvenescedor, tão eficaz que rejuvenesce a alma depois de um prazeroso banho na lagoa da Coca-Cola. Voltando a trilha da praia chegamos à paradisíaca Praia do Cotia, emoldurada por dunas e coqueiros, uma imagem impactante que vale alguns instantes de contemplação. Para chegarmos até Baía Formosa passamos também pela Praia e Farol de Bacupari e pelo Santuário de Tartarugas Marinhas, uma iniciativa de um nativo para proteger a área de desova, hoje orientado pelo Projeto Tamar. Chegando na Praia de Baía Formosa compreendemos o porquê do nome Baía “Formosa”, a enseada é uma obra de arte da natureza!

Lagoa da Coca-Cola

Mais 12 km adiante está a Foz do Rio Curimatáu, em Barra do Cunhaú, um delicioso convite à um passeio de barco. De lá para Praia da Pipa são mais 6 Km, passando por Sibaúma. Pipa, além da já celebrada beleza natural e da adorável presença constante de golfinhos, conta também com uma vila encantadora e uma vida noturna agitada, com barzinhos charmosos, restaurante aconchegantes e a boate dos Calangos para quem quer uma balada noite à dentro. Durante o dia vale conhecer a paisagem exótica formada por rochas e falésias na Praia do Amor, point dos surfistas. A Praia da Pipa é a de mais fácil acesso , está localizada no centro da vila. Talvez seja por isso que nela se encontra a maior estrutura de bares e restaurantes na praia. Já a Praia do Curral é a mais deserta, rodeada por falésias e de acesso difícil. A área de acesso pela rodovia é protegida pelo projeto TAMAR e para chegar lá só caminhando pela praia ou durante o passeio de barco. A Praia da Ponta do Madero é imperdível. Localizada a 1 Km do centro de Pipa, o acesso à praia é feito por uma escada construída em meio à vegetação, que aos poucos vai revelando os encantos da enseada. Praia de ondas suaves, é a preferida pelas famílias, que além da paisagem, apreciam também o balé dos golfinhos, um espetáculo à parte! O contato muito próximo com os animais, que nadam a poucos metros dos banhistas, é emocionante. Logo mais adiante está Tibau do Sul (município ao qual pertence a vila de Pipa). Destaque para a Creperia do Hotel Marina, que tem o pôr-do-sol mais concorrido da região. O público começa a chegar por volta das 17h, e o pôr-do-sol é regido ao som da “Primavera” de Vivaldi, um espetáculo de luz e som, ao sabor do delicioso “crepe do pôr-do-sol”, especialidade da casa. Mais à noite, para o jantar você tem um encontro marcado. Isso mesmo, é necessário ter reserva para ser um dos oito felizardos a jantar no Camamo, onde um exclusivíssimo ritual gastronômico composto por 6 pratos surpresa, é preparado cuidadosamente pelo chef Tadeu Labambo. Deixamos Tibau do Sul pela balsa e chegamos a Praia de Malemba. Para atravessar os 8 Km até a Praia de Barretas somente à bordo de um buggy selvagem ou de um carro tração 4x4. Se você não contar com nenhuma das opções anteriores pode pedir ajuda a um orientador, nesta caso não se espante se Macguyver, Vin Diesel ou Charles Bronson aparecer para guiar seu carro, eles são os personagens mais destemidos da região! Mais alguns quilômetros percorridos diante das piscinas naturais da Praia de Camurupim e uma parada no Mirante dos Golfinhos. Localizado entre as Praias de Tabatinga e Búzios, é parada certa para admirar o visual e curtir mais uns momentos com as celebridades marinhas, os golfinhos! Passando do campo das celebridades para o campo dos recordes, chegamos a Pirangi, onde está localizado o maior Cajueiro do Mundo, a árvore centenária que produz cerca de 70 mil frutos por ano e não pára de expandir sua copa. Vale a pena conferir a grandiosidade da árvore, equivalente a um campo de futebol, do alto do mirante de 12m de altura e se divertir com uma bem-humorada visita guiada ao Cajueiro, garantia de boas risadas. Ainda em Pirangi é possível fazer um passeio de barco pelas piscinas naturais. O horários de saída dos passeios dependem da altura da maré. Informe-se pela tábua das marés antes de agendar o passeio, ela se torna essencial para os passeios de mergulho, praias de piscinas naturais ou quando se escolhe trocar o asfalto pela areia, como o nosso caso! A 17 Km de Natal se encontra a antiga base de lançamentos de foguetes brasileiros, a Barreira do Inferno. O nome originou-se de uma série de rochedos avermelhados, típicos daquele trecho do litoral.

Baía Formosa

Chegamos à Capital Potiguar e uma série de atrativos nos aguardam, a começar pela Praia de Ponta Negra. A praia que é cartão postal da cidade, possui a duna mais famosa do estado com 120 m de altura, o Morro do Careca, que encanta visitantes de todo o mundo. É na Ponta Negra que estão localizados os bares e restaurantes mais transados da cidade, seja para quem quer badalar no Alto da Ponta Negra ou “Rua do Salsa” em locais como o Taverna Pub ou para quem quer apreciar uma boa culinária e se esbaldar na fartura de saborosos camarões ou ainda com pratos típicos como carne de sol, feijão verde, tapioca, manteiga de garrafa, queijo coalho, bolinhos de macaxeira, cartola e os sucos fresquinhos de caju, cajá, seriguela, mangaba entre tantas outras delícias locais. Para quem quer conforto, tranqüilidade e uma belíssima vista para o mar azul sem fim, a melhor opção é escolher um dos hotéis de luxo da Via Costeira. Nela estão instaladas as principais redes da hotelaria internacional. No centro da cidade está o Centro de Turismo, a antiga casa de detenção, que hoje comporta um museu, lojas de artesanato (59 lojas e 18 barracas), galeria de arte e o restaurante Marenosso, onde são feitos os famosos bolinhos de macaxeira (camarão, carne de sol e queijo coalho) das simpáticas “Tias” Lúcia & Chica, tradição desde 1980. O Centro de Turismo é o local ideal para quem gosta do rico artesanato potiguar ou para quem deseja levar um souvenir para casa. É lá também que acontece toda quinta-feira o Forró com Turista, atração imperdível para quem não quer deixar Natal sem antes curtir um legítimo arrasta-pé nordestino. Outro atrativo espetacular é a Fortaleza dos Reis Magos, cuja construção foi iniciada pelos portugueses em 06 de janeiro de 1598, dia dos Reis Magos, para servir de apoio na batalha contra os franceses. O formato estelar do forte foi idéia do famoso arquiteto militar Francisco Farias, com a finalidade de combater o inimigo por no mínimo dois cantos da construção. Do forte tem-se uma linda vista da ponte Newton Navarro, também conhecida como “Ponte de todos” ou ainda “Forte Redinha”. A ponte inaugurada em novembro de 2007 possui 1,78 km de extensão e 21 metros de largura. É uma edificação do tipo estaiado, com estrutura suportada por estais (cabos de aço), que liga Natal a Dunas de Genipabu. Antes da construção da ponte, a travessia do Rio Potengi era feita em balsas e durava cerca de 20 minutos.

Praia de Ponta Negra

LITORAL NORTE

Atrevessando a ponte, iniciamos nosso passeio às dunas fixas de Genipabu e às dunas douradas de Pitangui, as dunas móveis. As dunas estão para Natal assim como a Papa está para Roma, ou seja, ir à Natal e não fazer o passeio de buggy às dunas, não faz sentido algum, é um tour obrigatório. O passeio que vai de Genipabu a Muirú, passando por Pitangui e Jacumã, reserva surpresas do início ao fim. Logo no ínicio a visão inebriante da Lagoa de Genipabu o faz imaginar que já bastava o passeio até ali, mas isso é só o começo. Do alto da Duna de Genipabu se tem uma bela vista da cidade de Natal, logo ali, atrás da ponte. Mais um pouco de sacudidas e chegamos à parada dos dromedários, onde nativos vendem água gelada, passeios, fotos com roupa típica do deserto (indumentária árabe). É, parece que estamos no Sahara, mas basta olhar em volta para saber que estamos mesmo num Oásis! Seguimos caminho, sempre acompanhando as trilhas deixadas pelos buggys, para não nos perdermos ou atolarmos em meio às dunas. Chegamos às margens do Rio Ceará-Mirim, onde passamos por uma divertida aventura. O buggy é transportado para o outro lado da margem por uma balsa movida a mais alta tecnologia de ponta – “Ponta da vara, movida a arroz, feijão e rapadura!” – brinca nosso buggueiro, aliás característica singular do povo nordestino “receptividade bem-humorada”!. Em poucos minutos chegamos à Lagoa de Pitangui e fazemos uma parada para banho em meio à dezenas de peixinhos presentes na lagoa e uma sessão animada de aerobunda. A emoção toma conta do passeio nas dunas móveis de Pitangui. A partir deste ponto que a expressão “com ou sem emoção” começa a fazer sentido. As manobras são exclusivas, pois as dunas estão em constante movimento, alterando o percurso a ser realizado. Cada subida e descida reservam grandes surpresas, novas áreas para manobras que podem ser suaves até as mais radicais, dependendo do grau de adrenalina desejada à bordo. É importante frisar que os buggueiros que fazem este passeios são experientes, cautelosos e cadastrados nas cooperativas de buggy e também na secretaria de turismo, o que garante um passeio com emoção mas sem surpresas desagradáveis. E depois de muitas manobras, muito barulho (sim, os turistas gritam como se estivessem numa montanha russa) e uma paisagem inesquecível, chegamos à Praia de Jacumã, onde reservamos mais um tempinho para outra sessão de skibunda. Um pouco mais adiante, na Lagoa de Jacumã, é hora de repetir a dose de emoção no aerobunda, com emoção garantida na descida e também na subida com uma espécie de trenzinho motorizado. Após tanta adrenalina é hora de emoção tocar o coração dos casais apaixonados. Rumo a Maxaranguape, encontramos a secular ”árvore do amor”. Formada por duas árvores que se unem em forma de arco, a árvore do amor foi o resultado da ação do tempo e do vento, que aos poucos foi curvando, galhos e raízes, até formar este belo arco, como um capricho da natureza. O mais interessante é a sombra projetada no chão pela copa da árvore – um coração. O fenômeno ocorre por volta do meio dia e fortalece a lenda de que o casal que for clicado sob o arco da árvore do amor não irá se separar jamais! Dê um descanso a Santo Antônio e garanta logo a sua foto! A 500 m da árvore do amor está o Farol e o Cabo de São Roque, considerado o ponto brasileiro mais próximo da África. Subimos mais 14 km pelo litoral para realizar um dos melhores mergulhos do nordeste, nos Parrachos de Maracajaú. Os Parrachos de Maracajaú que estão localizados a 7 km da costa, são imperdíveis para mergulhadores de 8 a 80 anos de idade. Apesar da pequena praia, a infra-estrutura para mergulho impressiona, com quatro grandes empresas realizando passeios e mergulhos, além das barracas e restaurantes de apoio. No retorno dos Parrachos avistamos os aerogeradores em Zumbi e seguimos em sua direção. No caminho passamos por Pititinga, uma praia semi-deserta onde prevalece a pesca artesanal e de onde avistamos uma belíssima paisagem, a Barra do Punaú. Um cenário cinematográfico, formado por dunas, coqueiros e um tranqüilo riacho que desfila em direção ao verde mar, transformando este corredor num oásis que encanta e convida o viajante a um mergulho. Punaú já foi cenário de vários comerciais de TV, entre eles: cerveja Kaiser (2002) e chocolate Prestígio (em 1991). Vale a pena ficar um tempinho neste paraíso para conhecer!

Barra do Rio Punaú

Seguimos rumo a cidade de Touros passando por Rio do Fogo e pela bela praia de Perobas - capa do guia Quatro Rodas de 2003. Por um bom motivo retornamos ao asfalto, fomos conferir onde começa a BR 101, o marco “zero” da Rodovia de 4.542 km , que liga o Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. A menos de 500 m dali, está o maior farol da América Latina, o Farol do Calcanhar, com 65 m de altura e 298 degraus, é considerado a esquina do continente sul-americano. Depois de tanta estrada, nada melhor que achar um cantinho GOSTOSO para relaxar. E este foi nosso próximo destino: SÃO MIGUEL DO GOSTOSO, para os mais chegados, somente Gostoso. E o nome faz jus ao destino, com as piscinas naturais, o sossego das cabanas a beira mar, o bonito recorte do litoral, uma charmosa igrejinha no centro da vila, boas pousadas e restaurantes e a dose certa de vento e sol fazem de Gostoso um destino delicioso. Partir deste paraíso é difícil, mas seguimos em frente de buggy , num percurso pela praia de aproximadamente 3 h até Galinhos, outro paraíso brasileiro. No caminho, mais surpresas como Praia de Tourinhos, que sem abusar do sexto-sentido, conseguimos prever que ela ainda será considerada uma das mais belas praias do Brasil, uma paraíso perdido. Mais a frente chegamos à Praia do Marco, que segundo alguns estudiosos foi o local onde em 1500 Pedro Álvares Cabral teria aportado pela 1° vez em solo brasileiro. Na praia encontra-se a réplica do marco português, o original foi levado para a cidade de Touros, onde fica exposto no centro da cidade. Enxú Queimado vem logo em seguida, com piscinas naturais, dunas móveis e um interessante trecho de 3 km de praia chamada Sarafim, considerado o lugar onde o sertão chega mais próximo do mar, trazendo cardeiros (como são chamados os cactos) e cabritos quase até a areia da praia. Já no município de Caiçara do Norte passamos pelo belo Farol de Santo Alberto. No caminho do Farol até a Vila subimos uma imensa duna branca e do alto avistamos de um lado o Farol (500 m) e do outro a Vila de Caiçara do Norte (500 m), onde a pesca é a principal atividade econômica. Percorremos mais um longo trecho de praias selvagens, dunas brancas, piscinas naturais, vilas de pescadores com menos de 50 habitantes e chegamos a Duna do Capim em Galinhos. De lá avistamos as Salinas Diamante Branco e as Serras do Cabugi, serras que teriam sido avistadas na época do descobrimento, ao invés do Monte Pascoal, na Bahia.

Gostoso

Gostoso

Galinhos tem uma rica economia baseada na cultura de camarão, e na extração de sal e petróleo. Como se não bastasse tanta riqueza, Galinhos foi abençoado por Deus em sua forma. Galinhos tem um futuro promissor, só esperamos que este “progresso” venha lentamente, sem interferir no tranqüilo trânsito dos táxis-charretes. Pois é, em Galinhos não há carros. Para chegar a esta paradisíaca península somente por meio de buggy ou 4x4 na maré baixa ou de barco. Na vila o transporte fica por conta dos táxis-charretes puxados por jegue, que por R$ 10,00 (preço informalmente tabelado) nos levam para assistir a um romântico pôr do sol no Farol de Galinhos ou no alto das Dunas do Capim. Diante deste paraíso que os portugueses Clara e Jorge resolveram estabelecer raízes na vila desde 2000, quando abriram a charmosa pousada Chalé Oásis Galinhos. Uma pousada aconchegante com apenas 6 chalés graciosamente decorados pelas mãos criativas de Clara Pinto Machado, inspirados em astros, estrelas, planetas entre outras variações do mesmo tema. Outro destaque da pousada é a gastronomia, dê uma pausa no camarão (farto neste litoral) e peça o legítimo bacalhau português, nós sugerimos o “Bacalhau com Natas”, que é magnífico. Outros pratos fora do cardápio você descobre conversando com os proprietários, que estão sempre disponíveis para sugerir alguma receita irresistível. Outra curiosidade da pousada e da região é que a água encanada em Galinhos é salobra, por ser uma região muito rica em sal. Para mimo de seus clientes, a pousada disponibiliza no chalé um galão de 20 litros de água mineral a cada dois dias para o “enxágüe” dos hóspedes, um luxo! Do Soluarium da Pousada – sem espantos com o neologismo dos proprietários – um agradável mirante, tem-se uma bela vista do braço do mar e do porto de Galinhos seja sob o sol ou sob a lua cheia.

Galinhos

Chalé Oásis Galinhos

Hora de seguir viagem pela Costa Branca, denominação dada em função da região ser a maior produtora de sal do país. Para chegarmos a Porto do Mangue, saímos de barco de Galinhos e após 30 minutos chegamos a Guamaré. De lá seguimos para Macau, a maior produtora de sal da região, onde além de salinas de um lado e outro da estrada que nos leva à cidade, encontramos a bela Praia de Camurupum, uma praia tranqüila e extasiante, repleta de piscinas naturais. De Macau a Porto do Mangue uma outra aventura, 40 Km percorrido de moto-táxi, cortando salinas e atravessando um rio de canoa (sim, as motos também atravessaram o rio, apesar do temor dos moto-taxistas). Logo depois de Porto do Mangue, chegamos ao lindo parque das Dunas do Rosado, que recebeu este nome em função da coloração única de suas dunas. Foi entre as Dunas do Rosado e a Pedra Grande que o Padre Marcelo e os atores Giovana Antonelli e Luigi Baricelli gravaram cenas do filme “Maria, mãe do Filho de Deus”. Mais alguns quilômetros e chegamos a Ponta do Mel, uma praia muito procurada pelos locais por sua beleza. Do alto do morro onde se encontra o Farol de Porto do Mel avistamos o Porto Ilha. Um porto construído em alto-mar exclusivamente pra atender o comércio do sal. O tamanho do Porto impressiona, principalmente à noite, quando é possível ver as luzes do Porto acesas em alto-mar. De Areia Branca pegamos a balsa até Grossos, são os últimos 28Km do litoral do Rio Grande do Norte até chegar à divisa com o Ceará. Um trecho de praias longas com grandes extensões de areia e pouco habitadas, um convite ao 4 x 4. Tibau é a última cidade e também última praia do Rio Grande do Norte antes da divisa com o Ceará. A primeira cidade do Ceará é Icapuí, as duas cidades são tão próximas que quem está na praia de Tibau ou na Praia do Ceará (como é conhecida a 1ª praia de Icapuí) não sabe em qual estado está.

Salina Diamante Branco - Galinhos

Salina Diamante Branco - Galinhos

Dunas do Rosado

Pedra Grande - Ponta do Mel

As primeiras praias do Ceará (Praia do Ceará, Tremembé, Barreiras, Picos, Perobas, Redonda e Ponta Grossa) parecem ainda intocadas, freqüentadas apenas por nativos e pescadores que tiram seu sustento da pesca da lagosta. Destaque para a Praia de Redonda pelo bonito recorte do litoral, ladeada por dunas e coqueiros e dezenas de barcos de pesca da lagosta, descansando no mar compondo esse belíssimo cenário. A praia seguinte, sentido Fortaleza, é Ponta Grossa, linda, formada por dunas, falésias, pedras dentro do mar e um detalhe interessantíssimo, fontes de água doce que brotam na praia, onde no período da maré alta, as águas doces e salgadas se misturam. O local onde nasce a fonte é como areia movediça, melhor apreciar de longe! Os aventureiros de 4x4 tem que ter muita atenção e andar com quem conhece o local. Já no município de Aracati, em Retiro Grande, momentos emocionantes ao passar pela faixa de areia mais estreita no caminho até Canoa Quebrada. Com a força da maré e ajuda das chuvas a camada de areia que cobria o leito de pedras foi removida, deixando a passagem ainda mais difícil e o passeio com muito mais adrenalina. Mais adiante em Retirinho está a cachoeira do Cearense. A pequena queda d’água recebeu este nome pois fora do período de chuvas ela quase seca. Sua coloração amarelada vem das raízes das árvores próximas as suas nascentes. Passando por Fontainha chegamos a Praia de Murici, na Garganta do Diabo, espécie de corredor formado entre falésias brancas e de onde surgem fontes de água doce. Serviu de cenário para a novela da Globo “Meu Bem Querer”. Seguindo pela areia passamos pela movimentada Praia de Quixaba (praia muito freqüentada pelos nativos) e chegamos a Marjolândia. Destaque para as esculturas de areia na Pousada Refúgio Dourado, feitas com colher de pedreiro e faca pelo artista local “Toninho da Areia Colorida”. A mais fotografada é a “Criação do Mundo”. Para conservar as esculturas, semestralmente o artista passa uma camada de cimento com tinta por cima.

Divisa RN/CE

Redonda - Icapuí

Refúgio Dourado - Aracati

Estamos a 12 km de Canoa Quebrada pela areia. O trajeto é belo e com uma agradável brisa. Canoa Quebrada é famosa por suas falésias de até 30 metros de altura de cor alaranjada, que funcionam como mirante natural. Foi na década de 70 que Canoa Quebrada foi descoberta e começou a atrair visitantes de todas as partes do mundo. A mesma beleza natural e a tranqüilidade do passado aliadas à consciência ambiental dos nativos e ao alto astral da vila fazem de Canoa Quebrada uma das mais procuradas praias do Ceará. Na Broadway, rua principal do vilarejo, concentram bares, lojas, restaurantes, pizzarias, sorveterias, sushi-bar, mercado, farmácia, boite, casa de forró, reggae, em fim, tudo para garantir o agito e o conforto que o visitante pode querer! A praia é emoldurada por paredões de falésias avermelhadas de até 30 m de altura. Nos arredores da vila estão enormes dunas de areia branca, de onde se aprecia o belo pôr-do-sol e as manobras radicais dos aventureiros do vôo livre. No limite entre os municípios de Aracati e Fortim encontra-se a Foz do Rio Jaguaribe, um rio muito importante na região por ser um rio perene. Situada na margem direita do rio estão a praia do Cumbe e a praia da Barra. Bem próximo estão às ilhas fluviais Grande e da Caldeira. A navegação é possível nos braços do rio que mantém a margem das dunas densa vegetação de mangues. Ambiente propício para a prática de mergulho, atividades náuticas e pesca desportiva racional. Na margem esquerda do Rio Jaguaribe está a Praia de Pontal de Maceió, onde em 1873 foi construído o Farol do Pontal de Maceió, com material oriundo de Aracati. Na época de sua construção o Farol parecia um castelo; possuía varanda ao redor da iluminaria e um salão. Atualmente, situa-se em um banco de areia, aproximadamente a 2 km da margem esquerda do rio, e não apresenta mais todos os aspectos arquitetônicos da época de sua construção.

Refúgio

Chegando ao município de Beberibe, parada na Praia de Sucatinga, praia que ficou conhecida como Praia dos Anjos, nome fictício criado pela produção do Reality Show – No limite – da Rede Globo. A Praia de Sucatinga fica a 7 km da entrada de Beberibe, em um caminho cercado por dunas, um atrativo a mais para os amantes do Off Road. Mais adiante chegamos a famosa Praia das Fontes, hora de deleitar-se com a presença de dunas, falésias e claro, muitas fontes de água doce. A praia também ficou famosa após ter sido utilizada como cenário para a novela Global – Tropicaliente, e em diversos filmes de Renato Aragão, que costuma filmar cenários de deserto nas dunas da Praia das Fontes. No meio das Dunas nos deparamos com a encantadora Lagoa do Uruaú, cujas águas abastecem a sede do município. A 3 km da Praia das Fontes esta a Praia de Morro Branco, uma praia de extasiante beleza formada por bicas de água doce, dunas, falésias e areias coloridas de onde é retirada a matéria prima do belo artesanato local, as garrafas de vidro delicadamente ornamentados com areias de diversas cores (são mais de 12 tonalidades diferentes) formando paisagens praianas ou ainda qualquer desenho encomendado pelos visitantes. É em Morro Branco que esta o Monumento Nacional das Falésias. Do topo pode-se avistar o caminho formado pela erosão, serpenteando os paredões de areias coloridas e formando um espetacular cenário cinematográfico, onde se encontra um interessante formação conhecida como “Labirinto”. Essas falésias serviram de cenário da emblemática abertura do “Fantástico“ e o Labirinto para diversos filmes de Renato Aragão. E assim, depois de uma série de paisagens inesquecíveis, chegamos ao fim de nossa aventura. Redescobrimos o charme e a beleza de praias já consagradas e revelamos os encantos de praias que ainda vão conquistar os Brasileiros, pois o coração estrangeiros já foram enfeitiçados!

Labirinto

Verifique a galeria de fotos do Rio Grande do Norte, convide seus amigos e participe desta aventura com o Clube do Turismo.

Para informações de pacotes para este destino ou realizar sua reserva, clique aqui.

Agradecimentos Especiais:

- Hotel Delphia Paradise

- Pizzato Praia Hotel

- Luck Natal Tur Receptivo

- Potiguar Turismo

- Portal de Maracajaú

- Pousada Mar de Estrelas - Gostoso

- Chalé Oásis - Galinhos



Voltar