Ecoturismo em Matilde!

Para aliviar o estresse do início do ano, o destino escolhido para passar o feriado da Semana Santa foi Matilde, em Alfredo Chaves/ES. A sugestão veio do Clube do Turismo e a escolha não poderia ter sido melhor, afinal nossa intenção era relaxar em um lugar tranqüilo, com alguns atrativos naturais para sair da rotina, e gastando pouco.

Saímos de Vitória na quinta-feira no finalzinho da tarde, e chegamos em Matilde à noite. Uma parte em asfalto e outra em estrada de chão. Pegando o caminho certo é bem rapidinho. Chegando lá, foi só pegar a chave do chalé, tomar um banho quentinho e dormir.

As opções de estadia em Matilde são os chalés espalhados pelo distrito, os campings, as pousadas e um hotel. Mas na minha opinião nenhuma das opções é mais charmosa que a dos chalés. Alguns são tão bonitinhos por fora que parecem casas de boneca, mas por dentro são bem espaçosos e confortáveis.

Casa de boneca!

Em termos de refeição, é possível encontrar comidas caseiras bastante saborosas como polenta com carne moída, purê de aipim, carré e frango assados, macarronada, além da dupla arroz e feijão. O serviço, em geral, é self-service e os preços bem amigáveis. Nesses restaurantes também encontramos coisinhas gostosinhas como rosquinhas amanteigadas, biscoitinhos de maracujá e bombons.

Além desses mimos, a parte mais encantadora do passeio é a visita às cachoeiras. Até o caminho que leva à cachoeira é fascinante, formado por vales, com plantações em que parece que tudo foi pintado à mão. Pelo caminho a gente vê, em algumas partes, a calmaria do Rio Benevente e, em outras, impressionantes quedas d'água. Em algumas é possível entrar debaixo para sentir a força da água nas costas.


Rio Benevente

Queda d'água


A maior queda é a da chamada Cachoeira de Matilde, onde não é preciso entrar na água para se molhar, porque o impacto é tão grande que para quem está próximo dela parece que está sempre chovendo. É difícil até fotografar sem sair com a lente úmida. Para os mais corajosos, vale a dica de subir pelas pedras e ficar atrás do véu de água. Pura adrenalina.

A Bela Cachoeira de Matilde


Outro passeio imperdível é o Túnel de Matilde. O roteiro para chegar até lá já é bem interessante. É preciso seguir a desativada linha do trem, passando por uma ponte que dá um medo danado atravessar e pela antiga Estação de Matilde, um patrimônio histórico da região. Depois é só entrar numa trilha no meio da mata e lá está a entrada do túnel, que na verdade é uma escadaria de degraus bem altos por onde corre bastante água.


Antiga Estação de Matilde

Linha do Trem

Em algumas partes é preciso tatear com as mãos e os pés para continuar, porque fica completamente escuro.


Túnel de Matilde


Haja preparo físico, porque não basta descer, depois é preciso subir de volta pelo mesmo local. Eu confesso que na segunda-feira estava com as pernas complemente doloridas, quase sem poder andar. Nem dorflex, nem torsilax adiantaram. Mas valeu muito a pena. Faria tudo de novo.


Denise Klein Bermudes
Filipe Bermudes



Voltar